Dino determina que PF investiga esquema



O ministro da Justiça, Flávio Dinodeterminou que a Polícia Federal investigasse as denúncias de manipulação de jogos no Campeonato Brasileiro.

Um esquema de apostas no futebol nacional foi descoberto pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO), que deflagrou nesta semana a segunda fase da operação Penalidade Máxima.

“Diante de expressões de manipulação de resultados em competições esportivas, com repercussão interestadual e até internacional, estou determinando hoje que seja instaurado Inquérito na Polícia Federal para os considerar legalmente cabíveis”, afirmou o ministro da Justiça e Segurança Pública.

Segundo a CBF, o presidente Ednaldo Rodrigues pediu ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Ministério da Justiça que a Polícia Federal entre no caso, “com o objetivo de centralizar todas as informações a respeito dos casos em investigação”.

A entidade disse ser também vítima “destes possíveis atos criminosos” relacionados e informou não ter sido oficialmente controlado pelo MP de Goiás sobre os fatos à investigação.

Manipulação de apostas: quem são os jogadores suspeitos de envolvimento?

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) investiga um esquema de manipulação de apostas esportivas em partidas do Campeonato Brasileiro das Séries A e B de 2022 e partidas do Paulistão e do Campeonato Gaúcho deste ano.

Jogadores cooptados por grupos criminosos recebiam até R$ 100 mil para provocar cartões amarelos e vermelhos ou realizar outras ações dentro de campo. Ao todo, sete jogadores estão na mira das autoridades.

Em abril, o MP, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Coordenadoria de Segurança Institucional e Inteligência (CSI), deflagrou a segunda fase da Operação Penalidade Máxima – a primeira etapa foi realizada em fevereiro e mirava apenas jogos da Série B.

Três mandados de prisão, 16 de prevenção e 20 de busca e apreensão, foram cumpridos em 16 municípios de 20 estados brasileiros diferentes, incluindo São Paulo e Rio. Veja os investigados.

EDUARDO BAUERMANN (SANTOS)
Santos x Avaí (Brasileirão, 11/05/2022): “Pagamento em montante ainda não precisodo, porém certo que pelo menos R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) foram efetivamente entregues a Eduardo Bauermann antes mesmo da realização do jogo, para que Eduardo, jogador do Santos, fosse punido com cartão amarelo na partida (o que não ocorreu)”.

Botafogo x Santos (Brasileirão, 11/10/2022): “Bauermann, apesar de ter aceitado os títulos na rodada anterior, não “cumpriu” sua parte no acordo ao não ser punido com cartão amarelo. Por isso, na rodada imediatamente seguinte e ainda com a posse da quantia recebida, novamente aceitei a promessa de valores indevidos para, agora, ser expulso na partida”. Bauermann e Romarinho, investigados pelo Ministério Público, conversam diretamente antes da partida contra o Botafogo, pelo Brasileirão de 2022.

KEVIN LOMONACO (RED BULL BRAGANTINO)
Red Bull Bragantino x América-MG (Brasileirão, 11/05/2022): “Promessa de pagamento de R$ 70.000,00 (setenta mil reais), dos quais R$ 30.000,00 (trinta mil reais) foram entregues antes mesmo da realização do jogo, para que o atleta fosse punido com um cartão amarelo durante a partida.

Red Bull Bragantino x Portuguesa (Campeonato Paulista, 21/01/2023): “Promessa de pagamento de R$ 200.000,00 para que o atleta cometa uma homenagem máxima no primeiro tempo da partida. A proposta foi recusada.

MORAIS JR. (JUVENTUDE)
Palmeiras x Juventude (Brasileirão, 10/09/2022): “Promessa de pagamento de R$ 30.000,00 (trinta mil reais), dos quais R$ 5.000,00 (cinco mil reais) foram entregues antes mesmo da realização do jogo , para que o jogador fosse punido com um cartão amarelo durante a partida.”

Juventude x Fortaleza (Brasileirão, 17/09/2022): “A vantagem consistiu na promessa de pagamento de R$ 50.000,00 (trinta mil reais), dos quais R$ 20.000,00 (vinte mil reais) foram produzidos antes mesmo da realização do jogo, para que o jogador fosse punido com um cartão amarelo.”

Goiás x Juventude (Brasileirão, 11/05/2022): “Promessa de pagamento de R$ 50.000,00 (trinta mil reais), dos quais R$ 20.000,00 (vinte mil reais) foram entregues entregues mesmo da realização do jogo, para que o jogador fosse punido com um cartão amarelo durante a partida.”

PAULO MIRANDA E GABRIEL TOTA (JUVENTUDE)
Juventude x Fortaleza (Brasileirão, 18/09/2022): “Promessa de pagamento de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais), dos quais R$ 5.000,00 (cinco mil reais) foram entregues antes mesmo da entrega do jogo , mediante pagamento na conta de GABRIEL (TOTA), jogador do JUVENTUDE, para posterior repasse ao atleta JONATHAN (PAULO MIRANDA), para que este, também jogador do JUVENTUDE,fosse punido com cartão amarelo na partida, o que foi efetivamente providenciado pelo jogador .”

Goiás x Juventude (Brasileirão, 11/05/2022): “Promessa de pagamento de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais), dos quais R$ 10.000,00 (dez mil reais) foram entregues antes mesmo da realização do jogo , pagamento providenciado por ROMARIO HUGO DOS SANTOS para a conta de GABRIEL (TOTA), para posterior repasse a JONATHAN (PAULO MIRANDA), para que este, também jogador do JUVENTUDE, fosse punido com cartão amarelo na partida, o que foi efetivamente providenciado pelo jogador.”

IGOR CARIÚS (CUIABÁ)
Ceará x Cuiabá (Brasileirão, 16/10/2022): “Promessa de pagamento em montante total ainda não precisado, porém certo que R$ 5.000,00 (cinco mil reais) foram entregues a Igor Aquino da Silva antes mesmo da realização do jogo, para que Igor, jogador do Cuiabá, fosse punido com cartão amarelo na partida, o que foi efetivamente providenciado pelo jogador”.

Palmeiras x Cuiabá (Brasileirão, 11/06/2022): “Pagamento de R$ 60.000,00 (sessenta mil reais) para que Igor Aquino da Silva (Igor Carius), jogador do Cuiabá, fosse punido com cartão amarelo na partida”.

FERNANDO NETO (OPERÁRIO)
Sport x Operário (Série B, 28/10/2022): “Promessa de pagamento de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais), dos quais R$ 40.000,00 (quarenta mil reais) foram entregues a Fernando José da Cunha Neto antes mesmo da conclusão do jogo, para que Fernando, jogador do Operário, fosse punido com cartão vermelho”.

VICTOR RAMOS (CHAPECOENSE)
Guarani x Portuguesa (Paulistão, 08/02/2023): “Promessa de pagamento de R$ 100.000,00 (cem mil reais) para que Victor Ramos Ferreira, jogador da Portuguesa, cometesse uma suspensão máxima. posteriormente, em razão de Bruno, Ícaro e Zildo (três dos denunciados) aparentemente não encontraram outros jogadores para manipulação de resultado na mesma rodada, os denunciados não transmitiram pagamento antecipado ao atleta e posteriormente não fizeram a aposta na partida”.

Outros jogadores investigados são Nikolas Farias, zagueiro do Novo Hamburgo-RS e Fernando Jarro Pedroso, atacante do Inter de Santa Maria-RS. Os jogadores aceitaram a promessa de pagamento de R$ 80 mil e R$ 70 mil, respectivamente, para cometerem pênaltis em partidas do Gauchão.



GAZETA DO POVO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *